Maria Martins, Uirapuru, 1945/déc.1980. Bronze.

Síntese da Escultura no Brasil

até 01 Mar 2020

O MuBE, além de sua vocação como museu de ecologia que trata das questões do meio ambiente, é também um museu voltado para a escultura e os trabalhos tridimensionais. A escultura envolve uma compreensão do modo como ocupamos o espaço, dos vários materiais e distintas técnicas que podem ser usadas. Se as primeiras esculturas da mostra surgem do molde de animais e figuras humanas, a partir dos anos de 1960 elas tendem para a geometrização, se abrem para o objeto, para a relação com a cidade e o ambiente. 

 

A Síntese da Escultura no Brasil traz trabalhos de artistas que se dedicaram a repensar o legado escultórico no século XX. 

Entre as décadas de 1920 e 1940, os valores acadêmicos da escultura foram intensamente questionados em nome da liberdade e da experimentação artística. Os trabalhos modernistas de Bruno Giorgi e Ernesto De Fiori, embora tenham a tradição do corpo humano como modelo, constroem volumes de bronze com superfícies de aparência propositalmente inacabada. 

 

Maria Martins recorre a lendas indígenas ancestrais, constrói um corpo leve e esguio, como se aos poucos retirasse a massa da figura. A simplificação nas formas fica evidente na obra de Victor Brecheret, em que o zebu se aproxima de formas orgânicas, corpulentas e primitivas. 

 

A abstração geométrica das obras de Sergio Camargo também deriva do corpo, de sua simplificação até chegar ao cilindro. Cortado, como se pudéssemos olhá-lo por dentro, o artista propõe outro equilíbrio.  Já Lygia Pape desvenda o interior da escultura, como se retirasse a pele, revelasse o vazio e dissolvesse a diferença entre dentro e fora.

 

Amilcar de Castro, em vez de usar as técnicas tradicionais de bronze ou mármore, parte do plano, cortando e dobrando o ferro. O plano se abre para o espaço tridimensional e se relaciona com o entorno. 

 

Como toda síntese, essa exposição trata da reunião de exemplares diferentes, às vezes até contrários, mas que busca uma organização coerente. A ideia é que essa pequena mostra possa se desdobrar e colaborar na preparação para uma Antologia da Escultura no Brasil que o MuBE irá realizar no futuro.

Cauê Alves, Curador Chefe do MuBE

Synthesis of Sculpture in Brazil

through Mar 01, 2020

MuBE, in addition to its vocation as an ecology museum treating environmental issues, is also a museum dedicated to sculpture and three-dimensional works. Sculpture involves an understanding of the way we occupy space, the various materials and different techniques that can be used. If the first sculptures of the show come from the mold of animals and human figures, from the 1960s onwards they tend towards geometrization, open to the object, to the relationship with the city and the environment.

 

The Synthesis of Sculpture in Brazil brings works by artists who dedicated themselves to rethinking the sculptural legacy in the twentieth century. 

 

Between the 1920s and 1940s, the academic values ​​of sculpture were intensely questioned in the name of freedom and artistic experimentation. The modernist works by Bruno Giorgi and Ernesto De Fiori, although incorporating the tradition of the human body as a model, build bronze volumes with purposely unfinished surfaces. 

 

Maria Martins uses ancient indigenous legends, builds a light and slender body, as if gradually removing the mass of the figure. The simplification of forms is evident in Victor Brecheret's work, in which the zebu bull approaches organic, burly and primitive forms.

 

The geometric abstraction of Sergio Camargo's works also derives from the body, from its simplification down to the cylindric shape. Cut off, as if we could look inside, the artist proposes another equilibrium.  Lygia Pape unveils the interior of the sculpture, as if removing the skin, revealing the emptiness and dissolving the difference between inside and outside.

 

Amilcar de Castro, instead of using the traditional techniques of bronze or marble, starts from the plane, cutting and bending iron. The plane opens into three-dimensional space and establishes relationships to its surroundings. 

Like all syntheses, this exhibition is the gathering of diverse pieces, sometimes even contrary, but it seeks a coherent organization. The idea is that this small exhibition can be unfolded and become part of the preparation for a Sculpture Anthology in Brazil that MuBE will hold in the future.